Siga o OP nas redes

Famalicão

Salazar Coimbra explica vacinação de filha e mulher: vão prestar auxilio a doentes Covid

Publicado

em

O administrador do Hospital Narciso Ferreira, de Riba d’Ave veio, em comunicado, explicar a vacinação contra a Covid 19 da mulher e da filha.

No comunicado, assinado pelo próprio Salazar Coimbra, o Hospital e a Santa Casa da Misericórdia de Riba d’Ave começam por referi que Salazar Coimbra, “além de administrador é o diretor clinico da Instituição, razão pela qual foi vacinado”.

Que a esposa do administrador é irmã da Misericórdia “com experiência em voluntariado, levada a cabo nos últimos 10 anos na ala de transplantes de medula no IPO” e que se ofereceu “para reforçar e participar no auxílio a doentes covid no respetivo departamento que se encontra em funcionamento no Hospital Narciso Ferreira”, daí a razão de ter sido vacinada.

O hospital adianta que a mesma “iniciará esta colaboração logo que seja a vacina produza o efeito”.

“A equipa aí destacada encontra-se na linha da frente na prestação de cuidados a doentes afetados pela pandemia, motivo pelo qual foi a mesma vacinada num processo de total transparência comprovado pela inclusão do resptivo nome na lista de profissionais abrangidos”, acrescenta.

Quanto à erronia referência e identificação como “médica”, o hospital justifica com um mero lapso dos serviços administrativos”.

Quanto á filha, também irmã da Misericórdia, o hospital informa que “é médica e disponibilizou-se de forma altruísta para reforçar a unidade de doentes covid do Hospital Narciso Ferreira em virtude da extrema necessidade de profissionais capazes de permitir uma resposta urgente ao elevado número de doentes na unidade”. “Também iniciará esta colaboração logo que seja a vacina produza o efeito”, acrescenta.

No que respeita aos trabalhadores que exercem funções de motorista e portaria, estão incluídos na lista de trabalhadores das alas de tratamento COVID, encontrando-se nas prioridades indicadas pelo Ministério da Saúde, esclarece a unidade.

O Hospital assegura ainda que, ao contrário do que foi noticiado, “todos os enfermeiros da ala COVID, urgência, gastreontologia, anestesia, pneumologia, otorrino e bloco operatório foram vacinados”.

Acrescenta ainda que não houve “qualquer fraude no processo de vacinação”.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

FAMA TV

FAMA RÁDIO

ARTIGOS RECENTES

ARQUIVO

OP NAS REDES

anuncie neste espaço > ligue +351252308147