Siga o OP nas redes

Famalicão

Obras na EN 14 no centro da cidade

Publicado

em

Por António Cândido Oliveira

Espanta a quantidade de canos e tubos que estão por baixo da antiga EN 14 (hoje sem nome ou, pelo menos, sem placa a indicar) e que forma com o antigo Campo da Feira uma praça que tem o nome (julgo) de Praça D. Maria II. A este propósito ficava bem colocar uma placa bem visível próximo da Confeitaria Moderna (e no outro extremo) que indicasse não só o nome atual como a indicação expressa de ter sido a EN 14 Porto-Braga. A falta de placa ali (e em muitas outras ruas da cidade) revela desleixo.

Esses canos e tubos, colocados longitudinalmente e transversalmente, são às dezenas e ficaram à vista com as obras que ali estão em curso nestes meses do início do ano de 2021. O que gostaria de saber, mas não tenho tempo para tal, era para que são tantos canos e tubos e se estão todos ativos. Bem pedi a pessoa amiga para ilustrar este texto com uma fotografia, mas não foi possível. Haverá alguém que tenha uma? É que impressiona mesmo.

(E certamente as outras ruas da cidade estão também assim.)

Neste momento, a estrada já está coberta e as obras continuam em bom ritmo. Obras que a opinião pública liga às eleições locais que terão lugar na parte final deste mesmo ano de 2021 e incluídas no projeto mais amplo que é o da Praça da Cidade, englobando também a recuperação do edifício do Mercado Municipal. Estamos a falar de oito milhões de euros, salvo erro. Permita-se-me que diga que é muito dinheiro que poderia ser gasto com mais proveito para os munícipes noutras coisas.

PS – Devemos lutar para que o nosso concelho não destoe no panorama dos casos da Covid 19 no nosso país, neste tempo de progressivo desconfinamento e em que cada concelho conta. As autoridades locais políticas (municípios e de freguesia) e de saúde devem estar atentas e atuar em boa colaboração. Não podemos facilitar. E nós cidadãos e cidadãs devemos dar exemplo de comportamento responsável.

PARTILHE ESTE ARTIGO:

FAMA TV

FAMA RÁDIO

ARTIGOS RECENTES

ARQUIVO

OP NAS REDES