Siga o OP nas redes

Sociedade

Famalicão contra decisão do Governo em aumentar Taxa de Resíduos

Publicado

em

O presidente da Câmara Municipal Famalicão escreveu ao ministro do Ambiente e da Ação Climática para demonstrar o seu com degrado e desacordo pela decisão do Governo em aumentar para o dobro a Taxa de Gestão de Resíduos (TGR) aos municípios.

Em ofício enviado a semana passada, e qual o OPINIÃO PÚBLICA teve acesso, Paulo Cunha considera que, face à atual pandemia, esta medida “é inoportuna, já que tanto os municípios, como os cidadãos ou até as empresas estão penalizados pelo acréscimo das despesas recorrentes da mesma”.

O edil lembra que os municípios são “a primeira linha de apoios social” e que “o úmero de famílias que solicitou ajuda ao município de Famalicão aumentou”. Por isso, entende que esta medida é “mais um passo para diminuir o poder de compra dos cidadãos e um aumento da carga fiscal para o setor empresarial”.

No passado dia 17 de setembro, o Conselho de Ministros aprovou o aumento da TGR de 11 para 22 euros por tonelada, a ser cobrada a partir de janeiro de 2021.

Na missiva, Paulo Cunha solicita a “revisão desta decisão”, defendendo que o inventivo à redução da produção e resíduos e à separação e reciclagem deve ser realizado através “de um maior investimento em campanha de sensibilização e fiscalização”.

O autarca famalicense argumenta ainda que “para este tipo de tomada de decisão”, os municípios deveriam ser consultados, individualmente ou através da Associação nacional de Municípios Portugueses o que não aconteceu”.

Sociedade

Reabilitação da zona envolvente ao Mosteiro avança em Oliveira Santa Maria

Publicado

em

por

O presidente da Câmara, Paulo Cunha, visitou, esta semana, as obras de reabilitação e ampliação da zona envolvente ao Mosteiro de Oliveira Santa Mari, que estão a decorrer e que vão tornar esta área num cartão de visita obrigatória da freguesia.

O edil famalicense foi acompanhado pelo presidente da Junta de Freguesia, Delfim Abreu, para quem “esta é a obra do século para Oliveira Santa Maria”.  

A garantia de um investimento municipal de quase 150 mil euros para a segunda fase das obras na zona envolvente à igreja paroquial deixou o Delfim Abreu satisfeito. Na primeira fase a autarquia investiu 23 mil euros. Os trabalhos incidem essencialmente na pavimentação do espaço com granito amarelo, na plantação de dezena e meia de árvores, entre outros melhoramentos.

 Paulo Cunha elogiou a obra que para além da sua utilidade, corresponde a uma ansiedade da população que vê assim esta importante intervenção concretizada”.

Para além desta obra, o município investiu no último ano cerca de 40 mil euros na rede viária com destaque para as obras de pavimentação na rua Vista Alegre, Avenida do Mosteiro e Cruz da Estrada.

Continuar a Ler

Sociedade

Enfermeiros marcam semana de greve para novembro

Publicado

em

por

O Sindicato Democrático de Enfermeiros de Portugal (Sindepor) vai anunciar esta sexta-feira uma semana de greve, numa altura marcada pelo agravamento da pandemia no país.

Numa publicação feita nas redes sociais, o sindicato informa que “cumpridos os pressupostos legais”, a greve está convocada para a segunda semana de novembro.

O Sindepor justifica a greve com os problemas laborais que se têm agravado com a pandemia.   

Em declarações á TSF, Carlos Ramalho, presidente do sindicato, considerou que uma paralisação dos enfermeiros em plena pandemia de Covid-19, e com o número de novos casos a atingir recordes, não afetará negativamente a forma como a opinião pública vê estes profissionais de saúde. “Os portugueses sabem muito bem o esforço enorme que os enfermeiros têm feito, a sobrecarga a que estão sujeitos, numa altura como esta, e também serão os primeiros a compreender porque é que os enfermeiros vão partir para a luta”, afirmou.

Continuar a Ler

Sociedade

Famalicão vai reforçar Polícia Municipal com 10 novos agentes

Publicado

em

por

A Câmara de Famalicão aprovou esta quinta-feira, o recrutamento de 10 novos agentes para a Polícia Municipal.

A autarquia já tinha aprovado um procedimento para a contratação se cinco agentes, mas decidiu duplicar esse número, face áquilo que o presidente Paulo Cunha classificou de “desinvestimento nacional nas forças de segurança”.

No final da reunião, aos jornalistas, o edil famalicense disse que “há cada vez menos agentes da PSP e da GNR a patrulhar o território” e que isso o deixa “muito preocupado”.

Recentemente, Paulo Cunha reuniu com o secretário de Estado da tutela e ficou a saber que “não está previsto reforço de efetivos para a PSP e GNR” e também “não há formações em curso, o que pressupõe que não cedo não teremos novos agentes a entrar, pelo menos, para fazer face àqueles que vão saindo, por exemplo, por aposentação”, referiu.

Sublinhando que a Polícia Municipal não se pode substituir à PSP e á GNR, o autarca refere que com esta medida espera “mitigar dentro do possível a falta de forças policiais na rua de forma permanente e rotineira”.

Continuar a Ler

Mais vistos